Preview: O Doutrinador Card Game, da New Order Editora

A adaptação cinematográfica de O Doutrinador, HQ nacional criada por Luciano Cunha, acaba de estrear trazendo para a grande tela o primeiro anti-herói brasileiro. Apesar das muitas semelhanças com inúmeros vigilantes gringos bem conhecidos, o nosso Doutrinador se diferencia pelo tipo específico de bandido que caça: políticos corruptos. A ideia original existia desde 2008, porém foi a marcante onda de protestos de 2013 que levou seu autor a retirar o projeto da gaveta. Os primeiros passos foram digitais, mas não demorou muito a chegada de uma versão física através da Redbox Editora.

Edição especial capa dura que reúne as 3 edições publicadas de O Doutrinador.

Além do filme, O Doutrinador também tem uma série de TV programada para estrear em 2019 pelo canal Space e um cardgame que será publicado pela New Order Editora. A responsabilidade de adaptar o universo de O Doutrinador para o mundo dos jogos analógicos foi entregue ao game designer carioca Sanderson Virgolino, que apesar de ainda não ter nenhum jogo publicado, já tem seu talento bem reconhecido no mercado através de sua participação em eventos apresentando os protótipos de seus jogos ao público, editoras e outros game designers, tendo inclusive títulos já fechados para publicação com a própria New Order Editora e também com a Redbox Editora.

Tivemos a oportunidade de conversar pela primeira vez sobre O Doutrinador Card Game na entrevista que fizemos com o Sanderson durante do Diversão Offline 2018, o maior evento nacional de jogos analógicos, que ocorreu no final de setembro aqui no RJ. A New Order Editora estava fazendo a divulgação do jogo, que contou inclusive com mesas com a presença do próprio Luciano Cunha. Infelizmente, não tivemos tempo para sentar e jogar. Problema que corrigimos recentemente e em grande estilo.

Como dito no início do texto, a adaptação cinematográfica de O Doutrinador acaba de estrear e nós convidamos o Sanderson para conferir o filme junto com a gente.  Após a sessão, ainda imersos no clima da história, aproveitamos para enfim conhecer o jogo. O Doutrinador Card Game foi desenvolvido para ser um jogo pequeno e de regras simples, que possa ser entendido com facilidade por jogadores novatos. É um jogo que visa evidentemente os fãs de O Doutrinador, mas que ninguém pense que isso foi desculpa para algo bobinho.

Eu conheci o trabalho do Sanderson alguns anos atrás e tenho acompanhado a evolução e o refino do seu talento através do desenvolvimento de jogos cada vez menores. A criação de jogos pequenos é um desafio altamente reconhecido entre os mais diversos game designers. Entregar uma experiência interessante ao jogador utilizando um número restrito de componentes e regras não é nada fácil. Adicione a isso, o fato de trabalhar com um tema que possui todo um universo já criado.

Não posso dizer que O Doutrinador Card Game tenha sido para mim uma surpresa positiva porque isso já era esperado tendo como game designer Sanderson Virgolino, porém sempre me surpreende as soluções por ele utilizadas. Com regras e componentes concisos, é um jogo que proporciona uma experiência rápida e agradável para todos os jogadores, independente de conhecerem ou não seu tema. Claro que quanto maior o conhecimento do universo de O Doutrinador, melhor vai ser a experiência, por causa da questão das referências todas. A arte do jogo foi feita pelo próprio Luciano Cunha e remete tanto a HQ quanto ao filme.

FUNCIONAMENTO DO JOGO

Em O Doutrinador Card Game, os jogadores representam cidadãos comuns que inconformados com a corrupção ajudam o Doutrinador coletando informações sobre os alvos a serem eliminados. O objetivo no final da partida é somar a maior pontuação em sua mesa, apenas as cartas de corruptos possuem valor, que são mais elevados de acordo com o cargo. As demais cartas do jogo são as honestas e as do universo Guará (funcionam como magia instantânea). O jogador com a maior quantidade de cartas honestas na sua mesa no final da partida recebe um bônus de 5 pontos.

Essas 2 cartas são exemplos de artes que remetem aos personagens do filme.
Outros personagens da Guará Entretenimento, projeto de Luciano Cunha e Gabriel Wainer para desenvolvimento de heróis genuinamente nacionais. O Doutrinador foi apenas o primeiro, e mais famoso, deles.

Na preparação da partida são separadas as 2 cartas de Passando o Rodo e a carta Fim de Jogo. As demais são embaralhadas e cada jogador deverá receber 4 cartas. Após a distribuição das cartas, o montante restante deve ser divido em três pilhas onde serão distribuídas as cartas separadas anteriormente. A carta de Fim de Jogo deve ficar por baixo, mas não exatamente sendo a última.

Cartas que indicam a ação do Doutrinador e controlam o andamento da partida.

Na sua vez, o jogador irá comprar 2 cartas e jogar 2 cartas, elas podem ser jogadas abertas ou fechadas. É aí que está o grande barato do jogo. A maioria das cartas possuem efeitos, porém eles só são ativados quando a carta é jogada aberta. Então, qual é o motivo para jogar cartas fechadas? Cartas fechadas ficam mais protegidas porque ninguém sabe o conteúdo delas e servem para blefar. Se o jogador não quiser jogar as cartas, ele pode comprar mais 2 cartas. O limite de  mão é de 6 cartas.

Descubra a melhor estratégia para escolher quando jogar suas cartas abertas ou fechadas.

O jogo possui bastante interação entre os jogadores, o tempo todo cartas são descartadas e passam de um jogador para outro. As cartas de corruptos de maior valor não possuem efeito. Então é bem óbvio que é mais interessante jogá-las como cartas fechadas, porém se outras cartas não forem jogadas também para despistar não vai adiantar nada.

 

As cartas de Passando o Rodo representam o Doutrinador em ação, por isso todos os jogadores perdem a sua carta de corrupto de maior valor aberta na mesa. Existe também uma carta do próprio Doutrinador no jogo que funciona como as do universo Guará, sendo descartada após o uso. Isso permite a um jogador a possibilidade de usar a habilidade do Doutrinador.

Carta única no jogo.

A carta Fim de Jogo determina o término imediato da partida. No momento em que ela é revelada, todos abrem suas cartas fechadas e os pontos são somados. As cartas na mão dos jogadores não entram na contagem de pontos, apenas as que estiverem na mesa. É importante que a carta de Fim de Jogo seja colocada mais abaixo no montante de cartas, mas não exatamente por último para que haja um fator surpresa. Os jogadores sabem que a partida está na reta final, mas não quando exatamente termina.

AVALIAÇÃO FINAL

O Doutrinador Card Game é um jogo que comporta de 2 a 5 jogadores e possui duração entre 15-30 minutos. Muito rápido e fácil de aprender, pode ser jogado em qualquer lugar. É aquele joguinho que cabe no bolso. Porém, apesar de suas regras simples, não se trata de um jogo bobo. A questão das cartas fechadas ou abertas proporciona toda uma linha estratégica ao jogo juntamente com as combinações de poderes.

A mecânica não segue fielmente o tema, mas não deixa aquela sensação ruim de “colado com cuspe”. Poderia ser outro tema, mas funciona bem sendo O Doutrinador. Porém, os poderes das cartas ajudam bastante na tematização, pois realmente combinam com as personagens, não é algo aleatório que só serve a jogabilidade em si.

Recomendado O Doutrinador Card Game para quem gosta de jogo rápido, simples e bastante competitivo, com muito blefe e sacanagem com o amiguinho. O jogo está em fase final de produção e está com lançamento previsto para breve pela New Order Editora.

Veja também a nossa primeira impressão pós partida e a explicação completa gravada com o próprio Sanderson Virgolino, game designer de O Doutrinador Card Game:

 

Compartilhe:

One thought on “Preview: O Doutrinador Card Game, da New Order Editora”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *