[Mês da Mulher] Bate-Papo sobre Jogos Infantis

Quarta-feira, dia 20, nós recebemos para a nossa terceira live especial do Mês da Mulher: Graziela Grise e Isabel Butcher, sócias na editora Curió Jogos e autoras do jogo Macacos Me Mordam, e Mariana Gamberger, do canal Jogando com Crianças, para conversarmos sobre jogos para o público infantil.

A Curió Jogos foi formada por Graziela e Isabel com o objetivo de viabilizar a produção e o lançamento de seus próprios jogos. A proposta é trazer para o mercado um produto desenvolvido e fabricado no Brasil, mas com padrões estéticos e de qualidade semelhantes aos produzidos lá fora.

A visão da Curió Jogos é que não é por ser um produtos destinando ao público infantil que ele não precisa ser durável e bonito. Neste sentido, durante o bate-papo, elas contaram sobre a dificuldade de entrar nas lojas infantis, que elas acreditaram, a princípio, ser o local certo para alcançar seu público.

Atualmente, elas enxergam as lojas especializadas em boardgames como o local mais adequado, pois conta com um público que compreende melhor o produto e, portanto, o valoriza da maneira correta. Os jogadores de boardgames querem ter opções de jogos para as crianças com as quais convivem, e tem como parâmetro os jogos importados destinados a esse público, assim como a própria Curió Jogos.

Durante o bate-papo, elas contaram sobre como surgiu a ideia de montar a editora, os obstáculos e aprendizados no lançamento do Macacos Me Mordam, já adiantaram qual será o próximo jogo lançado, falaram sobre as especificidades do mercado infantil e um pouco sobre a dificuldade do processo de aprovação pelo Inmetro, o que gera elevação nos custos e tempo necessários para cada novo projeto.

O canal Jogando com Crianças foi criado pela Mariana Gamberger com o objetivo de dividir com os outros jogadores a sua experiência jogando com as suas filhas. Chama atenção no canal o fato de que Mariana não utiliza jogos especificamente infantis, mas adapta títulos destinados a adultos para jogar com elas. Mariana compartilha suas vivências publicando textos no em um canal na Ludopedia.

Ela também criou um canal no Youtube, ainda com poucos vídeos, onde suas filhas, agora já um pouco maiores, explicam os jogos. Uma proposta muito interessante, já que acredito que ver uma criança ensinando jogos serviria como um ótimo incentivo para que outras crianças queiram jogar.

Durante o bate-papo, Mariana também contou sobre como surgiu a ideia do canal, como adaptar os jogos observando o desenvolvimento da criança, sobre como lidar com as frustrações tanto do adulto quanto da criança e sobre a difícil questão do “deixar ganhar ou não”.

Ainda foi conversado com as nossas convidadas sobre:

  • A situação do mercado nacional de jogos infantis
  • A onda das versões infantis de jogos adultos. Exemplo: Ticket To Ride: First Journey e My First Stone Age.
  • Jogos infantis são mesmo necessários?
  • Jogos infantis X Jogos adultos adaptados. Vantagens e desvantagens. Como e quando usar cada um deles.
  • A importância do jogo infantil. Como escolher um título adequado.
  • Crianças em eventos: Levar ou não levar? Necessidades e benefícios.
  • Dicas sobre como começar a jogar com crianças.

Ufa! Enquanto a gente está lá ao vivo conversando nem percebe a quantidade de informações que estão sendo trocadas e o quanto de aprendizado que estamos absorvendo durante esse processo de interação. Então, independente de conviver ou não com crianças, dê o play e aproveite a conversa. Indique também este vídeo para seus amigos e conhecidos que tenham interesse no assunto.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *