Mobile Suit Gundam tem boardgame lançado no Japão

Apesar de não ter sido anunciado como um jogo comemorativo, o fato de ter sido lançado tão próximo do aniversário de 40 anos do primeiro anime da franquia deixa difícil não estabelecer automaticamente uma relação. Ainda mais depois de uma breve leitura da descrição do jogo.

Gundam: The Game é um cooperativo que transporta os jogadores para os 10 primeiros episódios do anime original de 1979 organizadas em seis fases. Cada uma delas é divida em 2 partes: uma de história e outra de batalha, o que me lembrou um pouco Star Wars: Rebellion.

Gundam: The Game foi apresentado na Game Market do ano passado.

 

Gostei muito desse aspecto. Os jogadores precisam alocar os personagens para resolver essas partes de história e cada um deles tem características específicas que se adequam melhor dependendo do momento, influenciando no resultado necessário na rolagem de dados. Eu particularmente fico frustradas com jogos que deixam de lado o aspecto da história para privilegiar apenas a ação.

Resolvendo a parte de história do jogo.

Resolvida a parte da história é hora do aguardado combate. O mecha é aqui o principal, mas também há também uma escolha importante de piloto. A ação do inimigo é controlada por uma carta de evento, deixando os jogadores livres para focarem em suas próprias ações. Cada batalha tem condições próprias de vitória e derrota.

Resolvendo da parte de batalha.

Seja na publicidade do jogo no site da Arclight Games ou no review do Dengeki é dado grande destaque para a necessidade dos jogadores se comunicarem entre si para a tomada das decisões e em como é possível explorar outros caminhos, não sendo obrigatório seguir de fato fielmente a história original, segui-la não é garantia nenhuma de vitória ou derrota.

Nesse sentido, o review do Dengeki coloca que conhecer a história é vantajoso, mas não conhece-la não é impeditivo, pois é um jogo que se sustenta por suas próprias mecânicas, não sendo algo apenas para fãs. Como esperado é um jogo bastante difícil. Porque se um cooperativo parecer fácil é mais provável que se esteja jogando com a regra errada.

Gundam: The Game saiu com edição bastante limitada em uma parceria entre a PLEX e a Arclight Games, editora responsável pelas versões japonesas de diversos jogos de tabuleiro ocidentais. O jogo foi lançado de 28 de março de 2019 e as informações sobre ele ainda são bem poucas.

No site da Arclight Games tem mais essas imagens do jogo na Game Market.

A primeira notícia que vi desse jogo foi no Gunjap e ao procurar mais informações as poucas fontes que encontrei foram todas em japonês. Também é muito difícil encontrar imagens reais dos componentes do jogo. Infelizmente, a própria Arclight Games utiliza imagens meramente ilustrativas em seu site.

Imagem ilustrativa do jogo completo na mesa representando uma partida já bastante avançada.

Eu não sou tão fã de Gundam e fiquei muito curiosa com o jogo, a ponto de pesquisar sobre ele. Como eu já coloquei mais acima, a questão de unir história e batalha me pareceu muito interessante. Infelizmente, tal fator que tanto gostei também é motivo de tornar o jogo ainda mais inacessível.

Se o jogador ocidental tiver disposição suficiente para encarar o processo de importação, a barreira do idioma é uma grande dificuldade a mais para transpor, pois a quantidade de texto é bastante significativa. Acho bem difícil que esse jogo ganhe uma versão internacional. Então, tudo o que podemos fazer é admirar este que parece ser um belo trabalho de adaptação.

Fontes: Gunjap, Arclight Games e Degenki

Recomendo muito dar uma olhada no Degenki, apesar de estar todo em japonês, tem uma boa quantidade de imagens do jogo, tanto reais quanto ilustrativas.

*Mobile Suit Gundam, ou apenas Gundam, é uma das maiores e mais influentes franquias de ficção científica do Japão, ao lado de Ultraman e Kamen Raider. O primeiro Gundam, conhecido como 0079, conta a história da batalha entre a Federação e Zeon, uma ex colônia, em um futuro distante no qual a humanidade foi obrigada a se espalhar pelo espaço devido a falta de condições de sobrevivência na Terra. Gundam inovou o gênero mecha ao trazer um modelo narrativo que busca realismo, reduzindo o status dos robôs a armas de uso militar. Em 40 anos de existência, são cerca de 30 animes, além de filmes, mangás, jogos e diversos outros produtos. Para facilitar uma criação continuada de histórias dentro da franquia, Gundam foi ganhando vários universos alternativos independentes.

 

 

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *