Análise: Córtex Desafios, da Mandala Jogos

Córtex Desafios foi um dos jogos festivos mais divertidos que joguei recentemente. Lançado no Brasil pela Mandala Jogos, ele apresenta 8 tipos de Desafios distintos que variam entre diferentes possibilidades de utilização de Memória e Reconhecimento de Padrões combinados com Ação Simultânea para testar a capacidade mental de 2-6 jogadores. Seu preço está na faixa dos R$70, o que o torna ainda bastante competitivo, principalmente pelo seu diferencial de possuir cartas texturizadas.

Visão geral dos componentes do jogo.

É um jogo muito fácil de colocar na mesa com qualquer grupo de pessoas, pois suas regras são extremamente simples e os tipos de Desafios são de conhecimento comum, coisas que estamos acostumados a “brincar” desde crianças, tipo aqueles entretenimentos que vem em jornal e revista, como o famoso Jogo dos 7 Erros.

Quando você começa a explicar, é perceptível essa familiaridade, o que faz com que antes mesmo da partida começar as pessoas já fiquem bastante envolvidas. Eu coloquei na mesa em uma festa onde ninguém estava lá exatamente muito animado para jogar e funcionou extremamente bem, até gente que nem estava jogando acabou ficando interessada.

Todo mundo já tentou resolver um labirinto antes.

O que mais gosto no Córtex Desafios, e que acredito seja o que faz ele funcionar tão bem, é a questão da alternância dos Desafios. Por mais que outros jogos festivos tenha vários modos diferentes, como por exemplo o Dobble, eles não são jogados todos juntos. Você sempre escolhe um e joga, a função deles é evitar que o jogo fique repetitivo e tentar atender diferentes preferências.

O Córtex Desafios utiliza esses mesmos princípios, mas torna-os muito mais interessantes quando os integra dentro do jogo. Não é apenas algo a mais, um opcional interessante, mas parte central na experiência. A alternância e a aleatoriedade combinadas com a questão da agilidade realmente colocam o cérebro dos jogadores para trabalhar, porque demandam o tempo todo uma adaptabilidade.

COMO JOGAR

Córtex Desafios vem com 80 cartas de Desafio que são distribuídas da seguinte forma: 10 Memória, 10 Labirinto, 11 Cor, 11 Coordenação, 11 Repetição, 11 Frequência, 10 Raciocínio Lógico e 6 Táteis. Essas cartas serão embaralhadas todas juntas formando uma pilha única de compra que deverá ser posicionada no centro da mesa. As cartas ficam viradas para baixo e nas costas de cada uma delas vem o símbolo que identifica o tipo de Desafio.

Boa variedade de Desafios garante partidas sempre muito dinâmicas.

Uma carta de cada vez será revelada e os jogadores tentarão todos ao mesmo tempo resolver o Desafio proposto, quem o fizer mais rápido e da forma correta pega a carta para si. Se o jogador errar, ele fica fora do turno seguinte. Quando o jogador tiver 2 cartas do mesmo tipo de Desafio, ele troca por uma parte do Cérebro. O primeiro jogador a completá-lo vence a partida. Um jogador não pode acumular mais do que 4 cartas.

A cada 2 Desafios iguais resolvidos com sucesso 1 das 4 partes do cérebro é conquistada.

DESAFIO TÁTIL

O grande diferencial do jogo, como foi dito no início do texto, são as cartas Táteis. O funcionamento delas, como esperado, é diferente das demais. A começar pelo fato que temos 2 grupos de cartas Táteis: 6 cartas que vem com o símbolo do Desafio e 10 cartas realmente texturizadas que serão utilizadas nele.

Cartas texturizadas são o grande diferencial do jogo.

O Desafio Tátil é o único que não ocorre no regime de Ação Simultânea. Quando uma carta desse tipo aparece, o jogador que acertou o Desafio anterior, e apenas ele, é que deve cumpri-lo. Ele deverá ficar de olhos fechados e os demais jogadores analisarão as 10 cartas texturizadas disponíveis para escolherem uma para ser identificada através apenas do tato. Em caso de acerto, o jogador leva uma parte do cérebro imediatamente.

CONCLUSÃO

Cortéx Desafios é aquele tipo de jogo que você se diverte mesmo tendo um mau desempenho. Apesar de não ser uma pessoa competitiva, eu sei que Ação Simultânea pode ser algo por vezes frustrante. Eu particularmente não sou boa com isso, o que talvez possa ser o motivo de eu não ser uma grande jogadora de jogos festivos, pois é um mecanismo muito utilizado para gerar alta interação entre os jogadores.

Porém, a mudança constante dos Desafios ajuda bastante nessa questão. Por exemplo: Eu sou ruim em Labirinto, Coordenação e Raciocínio; mas sou relativamente razoável em Repetição, Frequência, Cor, Memória e Tátil. Então, dificilmente vai acontecer aquele travamento total, coisa que já experimentei em jogos como Dobble e Fantasma Blitz, apesar de gostar bastante deles também.

O Desafio que faz todo mundo dar tela azul na mesa.

Córtex Desafios é atualmente o jogo festivo que eu indicaria para qualquer pessoa que me pedisse uma indicação, pois ele é uma opção bastante acessível em variados aspectos. Possui regras simples, a caixa é pequena, não ocupa espaço na mesa, bom preço, funciona com diversos públicos, rejogabilidade alta.

É a opção ideal para jogar com a família, com os colegas de trabalho e faculdade, com os amigos de rolê. É jogo para casa de praia, domingão à tarde, festinha, barzinho, horário de almoço, intervalo de aula. Enfim, um jogo para qualquer hora, lugar ou pessoa.

Já foi publicado também aqui no Brasil o Córtex Desafios 2, que traz novos Desafios e novas cartas texturizadas. Pode ser jogado tanto sozinho como misturado com a primeira caixa, pois as regras permanecem as mesmas.

Assista também a nossa análise em vídeo:

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *