Análise: Comic Hunters, da Bucaneiros Jogos

De autoria do game designer Robert Coelho e publicado pela editora Bucaneiros Jogos, Comic Hunters chama atenção pelo seu tema diferente, em que os jogadores são colecionadores de quadrinhos. Tendo como mecânica principal o Set Collection (Coleção de Componentes), cada uma de suas 135 cartas representa uma revista diferente. O objetivo é conseguir formar a coleção mais valiosa em uma partida que comporta de 1-4 jogadores.

Isso por si só já seria muito legal. Porém, ainda tem mais, pois não se trata de paródias, como talvez se poderia esperar. Os quadrinhos apresentados não apenas realmente existem, como são dos heróis mais populares do Universo Marvel na atualidade. As cartas são reproduções exatas de edições de histórias de personagens como: Homem-Aranha, Pantera Negra, Doutor Estranho, Capitão América, entre outros.

Referências para todos os lados na capa do jogo.

Comic Hunters é um jogo de regras simples, feito para ser jogado de forma rápida e descontraída, mas que nem por isso se descuida do seu tema e deixa de ser desafiador. Apesar das cartas que reproduzem os nossos queridos gibis serem certamente o atrativo principal, os elementos secundários não são esquecidos. Não apenas estando presentes, como sendo muito bem amarrados e equilibrados.

Olha que legal a lateral da caixa.

Os quadrinhos são divididos entre Atuais, Antigos e Raros, sendo que em cada Local haverá um tipo específico e uma forma diferente para sua aquisição.  Três elementos distintos que se complementam em perfeita harmonia para sustentação do tema. Além disso, o jogo possui um quarto elemento muito bem pensado e apropriado que são os gibis que por possuírem alguma característica importante são mais valiosos.

Cartas do jogo divididas por tipo.

COMO JOGAR

Comic Hunters é basicamente um jogo de cartas em que seu tabuleiro serve para controlar as informações da partida. Nele encontramos: os 4 Locais com o tipo de carta utilizada em cada um deles e um lembrete visual de sua mecânica, o Itinerário com a marcação da ordem exata das 3 rodadas, a tabela Tamanho de Coleções, a tabela Variedade de Coleções, a trilha Acervo e as trilhas Destaques.

Visão geral do tabuleiro com setup montado.

Apesar de ser um jogo que possui Locais, não existe aqui uma escolha de para qual deles ir. Todos os jogadores seguem o mesmo Itinerário já previamente determinado. Cada uma das 3 rodadas que compõem a partida possui 2 fases: Garimpar Tesouros e Organização da Coleção. A primeira fase é o momento de aquisição de novas cartas, nela sempre haverá visita a 3 Locais: 2 variáveis e a Convenção. Já na segunda fase é o momento de decisão sobre o destino das cartas recém-adquiridas.

Um único Itinerário para todos os jogadores.

A tabela Tamanho de Coleções e as trilhas Destaques são variáveis. Na preparação de cada nova partida será feito um sorteio que vai determinar a ordem de valor do Tamanho de Coleções de cada herói e quais serão os Destaques em vigor, dos 5 totais 2 ficam de fora. Os Destaques são aquelas características individuais em um gibi que adicionam mais valor a coleção.

A cada nova partida, a tabela Tamanho das Coleções dará pontuações diferentes para cada herói.
As duas primeiras vem impressas no tabuleiro como sugestão inicial, mas as três podem ser sorteadas.
Destaques: Número 1, Novo Visual, Primeira Aparição, Edição Especial e Confronto Memorável.

Em partidas com 4 jogadores, todas as cartas entram em jogo. Abaixo disso, 2 heróis devem ser escolhidos para ficarem de fora, exceto o Doutor Estranho, ele sempre deve estar presente. Os baralhos 1, 2 e 3 devem ser separados e um quarto baralho combinando cartas de todos eles deve ser formado, esse será o baralho da Convenção.

Doutor Estranho é o único herói que deve ser mantido em todas as partidas, independente do número de jogadores.

Os demais Locais que temos no jogo são: Loja, Sebo e Site de Leilões. A Loja utiliza o baralho 1, que são os quadrinhos mais atuais, e sua mecânica é o Card Drafting (Seleção de Cartas). Já o Sebo utiliza o baralho 2, que são os quadrinhos mais antigos, e sua mecânica é o Push Your Luck (Force sua Sorte). O Site de Leilão utiliza o baralho 3, que são os quadrinhos raros, e, como já seria de se esperar, utiliza a própria mecânica de Auction (Leilão).

Cada Local encontramos de forma clara e simples, o baralho utilizado e sua mecânica.

No Sebo, os jogadores têm como opções: abrir nova carta em uma fileira ou comprar todas as cartas de uma fileira. Cada uma delas começa com apenas uma carta. A quantidade de fileiras, e cartas que podem conter, irá variar de acordo com o número de jogadores. O impasse entre pegar uma fileira incompleta para garantir uma carta valiosa ou esperar completar com o risco de algum outro jogador pegar na frente é bem interessante, assim como a tensão a cada nova abertura de carta que pode mudar completamente as escolhas.

Fileiras completas em uma partida de 4 jogadores.
Fileiras completas em uma partida de 2 jogadores.

No Site de Leilão, os jogadores têm como opções: dar um lance ou passar. As cartas são leiloadas em lotes que irão variar de acordo com o número de jogadores. A moeda utilizada são os pontos na trilha de Acervo que começa no valor máximo, só diminuindo conforme forem sendo gastos. Quando houver apenas um lote restante e um jogador sem ter realizado nenhuma aquisição, esse é levado por ele com o custo da quantidade de cartas. Se não puder pagar por todas as cartas, pagasse apenas por aquelas que for possível. Os pontos que sobrarem na trilha de Acervo são somados a pontuação no final da partida.

Como todo Leilão cuidado para não perder mais do que vai ganhar.

A Convenção utiliza as cartas do quarto baralho, formado por cartas pertencentes aos 3 outros baralhos, e sua mecânica é o Grid Movement (Movimento em Grade). Um determinado número de cartas é disposto em uma grade, variando em quantidade de acordo com o número de jogadores, mas que terá sempre o formato 5×5, pois o que irá mudar são os espaços em seu interior. O jogador, na sua vez, irá escolher um herói e comprar todas as suas cartas em uma linha ou coluna. Porém, antes disso, ele pode escolher movimentar uma carta quantas vezes quiser, e for possível, em qualquer direção na vertical e/ou horizontal.

Disposição das cartas em uma partida para 4 jogadores.
Disposição das cartas em uma partida para 2 jogadores.

O marcador de Primeiro Jogador vai sendo passado praticamente a cada novo Local e as cartas não compradas em cada um deles são descartadas no baralho de Convenção, exceto as cartas do baralho 1 na Loja. No modo 2 jogadores, durante o Card Drafting (Seleção de Cartas), uma carta é escolhida para ir para a mão e uma outra para ser descartada. Essas cartas são devolvidas para caixa do jogo.

Regra de Primeiro Jogador diferente do habitual requer atenção dos jogadores.

Após os jogadores terem terminado de Garimpar Tesouros chegou a hora de Organizar a Coleção. Eles deverão escolher quais cartas farão parte da coleção de fato e quais serão descartadas para servirem de moeda como pagamento por elas. Note que o tempo todo foi explicado as formas de adquirir cartas, mas não foi feita menção de custos, com exceção do Site de Leilões. Nesse caso, haverá uma espécie de pagamento duplo.

O sofrimento de escolher quais cartas ficam e quais vão embora.

O número que indica a qual baralho a carta pertence também indica seu valor, as cartas não precisam ser descartadas de forma equivalente, apenas a soma conta. Não há troco no jogo, valores pagos a maior são perdidos. As cartas descartadas dessa forma vão para o baralho da Convenção, então os jogadores ainda tem chance de posteriormente readquiri-las.

As coleções não podem misturar diferentes heróis e devem ter no mínimo 3 cartas. No entanto, os jogadores podem começar com quantidades menores sem problema nenhum e ir acrescentando mais cartas em uma outra rodada. Outra possibilidade é a transferência de cartas entre coleções, no caso daquelas que possuem mais de um símbolo de herói.

Uma coleção do Homem-Aranha, observe que a segunda carta possui também o símbolo do Hulk, o que possibilitaria sua transferência futuramente para a coleção desse herói.

Porém, após realizado todos os pagamentos de custos, antes de colocar suas cartas novas junto com as antigas, seja abrindo novas coleções ou aumentando as que já possui, os jogadores não podem esquecer de atualizar as trilhas Destaques. Os valores de cada um daqueles que estiverem válidos durante a partida serão de acordo com o valor de cada carta. Usando o exemplo das cartas acima aplicado ao mostrado na imagem abaixo: Edição Especial não entrou nessa partida, Primeira Aparição 4 pontos e Confronto Memorável 2 pontos.

Cuidado para não esquecer de marcar os pontos nas trilhas Destaques. Uma parte significativa da pontuação final virá dela.

Após o término da terceira rodada é realizada com contagem de pontos para determinar o vencedor da partida. A pontuação do jogo é relativamente simples. Seguindo de modo tradicional em sua mecânica básica, seus principais critérios de pontuação quantidade e variedade. Fora isso, temos os pontos das trilhas Destaques e os pontos da trilha Acervo que funcionam apenas como um bônus, mas podem fazer diferença em uma partida acirrada.

Um exemplo de possibilidade de coleções no final da partida.
Bloco para anotação de pontuação.

CONCLUSÃO

Comic Hunters consegue utilizar múltiplos recursos mecânicos para representar muito bem o seu tema, sem que isso o torne demasiadamente complexo. Se estruturando de forma sólida em uma mecânica básica principal, utiliza as demais como auxiliares na medida certa. Um trabalho eficiente de game design do autor Robert Coelho.

Esse é um título que poderia facilmente ter ido pelo caminho fácil de se sustentar no apelo de suas cartas, mas que percebemos se esforça para entregar mais do que isso, para não ser apenas um joguinho bonito baseado em uma franquia de sucesso. Assim sendo, entrega uma experiência interessante e reconhecível para qualquer colecionador, mesmo que não seja de quadrinhos propriamente ditos.

O tema possui uma atração absoluta tanto para leitores de quadrinhos em geral quanto para os fãs dos heróis da Marvel, atualmente muito populares por conta dos filmes. Porém, mesmo entre aqueles que não se encaixam nessas categorias, acredito ser um jogo que vale muito a pena conhecer pelo seu conjunto mecânico simples e equilibrado.

Confira mais sobre Comic Hunters assistindo ao vídeo abaixo:

Compartilhe:

Um comentário em “Análise: Comic Hunters, da Bucaneiros Jogos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *