Análise: Tiny Epic Dinosaurs, da Gamelyn Games

Tiny Epic é atualmente uma das franquias mais bem-sucedidas do mercado mundial de boardgames. Tendo como game designer Scott Almes e editora a Gamelyn Games, sua trajetória de sucesso já conta com mais de 10 títulos lançados em um período de 7 anos, isso sem contar expansões, reedições e edições alternativas.

Tiny Epic Dinosaurs é um dos títulos mais recentes da série e apresenta como sua mecânica principal: Alocação de Trabalhadores (Worker Placement). Seguindo o padrão dos demais Tiny Epic, ele comporta de 1-4 jogadores e mantém seu tempo médio de partida em 1 hora. Lançamento no Brasil pela editora Meeple BR.

Os jogos da série Tiny Epic são muito consistentes em seus padrões, não se limitando apenas ao formato de caixa. Geralmente, eles mantêm a mesma quantidade de jogadores, tempo de partida, nível de complexidade e até os mesmos tipos de componentes. Isso pode passar uma ideia errada de jogos repetitivos, o que não poderia estar mais distante da verdade.

Coleção completa em ordem de publicação (de baixo para cima). Faltam o Tiny Epic Pirates (ainda não chegou) e o Tiny Epic Dungeons (KS mais recente).

A cada novo título lançado temos a utilização de temáticas e mecânicas bastante diferentes, além de algum tipo de inovação que surpreende e encanta, mantendo o interesse e o engajamento de seu público fiel. A cada nova campanha no Kickstarter, a pergunta que temos é sempre: “O que será que eles vão inventar agora?” São jogos muito bem pensados não apenas em termos de game design, mas também em termos de produto.

Acho que o grande acerto de Scott Almes ao criar a linha Tiny Epic foi a forma diferente de abordar a questão da criação de jogos pequenos. O que não falta no mercado são jogos nesse formato, mas ninguém até então tinha tentado “miniaturizar” jogos grandes. Esse é o grande diferencial aqui, o desafio que vemos ser enfrentado e vencido a cada novo lançamento.

Setup montado para 2 jogadores com mini expansão Laboratory.
Difícil acreditar que todos os componentes da foto acima cabem nessa caixinha, né?

Acho que já deu para notar que sou uma grande admiradora da série Tiny Epic. Eu tenho a coleção praticamente completa, entretanto esta é apenas a segunda vez que estou produzindo conteúdo sobre um de seus jogos. Talvez isso se deva ao fato de que apesar de apreciar muito a franquia, eu não seja uma fã incondicional de cada um dos seus títulos.

O texto que escrevi sobre Tiny Epic Kingdoms é bem pouco elogioso. Aliás, um dos raros que já escrevi sobre um jogo que não gostei. Eu só voltei a pensar em escrever sobre um título da série com Tiny Epic Galaxies. Depois disso, houveram outros lançamentos dos quais gostei bastante, então por que só voltar a série agora? O que em Tiny Epic Dinosaurs me deu a motivação necessária para sair da ideia e partir para a ação?

Acho que já deu para notar que sou uma grande admiradora da série Tiny Epic. Eu tenho a coleção praticamente completa, entretanto esta é apenas a segunda vez que estou produzindo conteúdo sobre um de seus jogos. Talvez isso se deva ao fato de que apesar de apreciar muito a franquia, eu não seja uma fã incondicional de cada um dos seus títulos.

Não me entendam mal. Eu gosto de modificações e criações em cima daquilo que já é consagrado. É um prazer ver o poder criativo e inovador dos game designers em ação, mostrando que sempre existe algo novo a ser explorado. Um mesmo conjunto de mecanismos pode ser rearranjado de inúmeras formas. No entanto, também é bastante prazeroso ver o básico tão bem executado e com uma identidade tão própria, sem que pareça algo genérico.

Tiny Epic Dinosaurs me lembrou bastante Agricola, que foi um dos primeiros jogos que conheci quando cheguei ao hobby e continua até hoje sendo um dos meus favoritos. De modo bastante simplificado, eu diria que ele é uma versão em miniatura e mais amigável do clássico criado por Uwe Rosenberg, o sentimento que tive ao jogar foi bastante parecido.

Pai e filho?
Tanto a fazenda grande quanto a pequena fazem chorar.

Administrar a fazendinha de dinossauros não será uma tarefa tão fácil quanto a simplicidade das regras e o próprio tema podem fazer parecer. Toda a linha Tiny Epic por si só possui um certo apelo à fofura que se encontra no conceito em si da série e eu achei isso ainda mais forte aqui.

Entretanto, não se deixe enganar, pois a sensação de “cobertor curto” é constante, aquela dificuldade de fazer as coisas e o fim da partida que sempre parece chegar rápido demais. A estranha prazerosa frustação que vem da combinação desses fatores está definitivamente presente, ainda que não seja em grau tão acentuado como em um jogo como o Agricola.

COMO JOGAR

Cada partida de Tiny Epic Dinosaurs possui um total de 6 rodadas divididas em 7 fases: Coletar Recursos, Alocar os Trabalhadores, Recolher os Trabalhadores, Organizar a Fazenda, Alimentar Dinossauros, Reproduzir Dinossauros e Manutenção. Cada jogador recebe 2 mini tabuleiros individuais: um de Fazenda e outro Administrativo. No início da partida, os jogadores possuem 4 meeples para alocação, sendo que um vale por dois. Um quinto meeple é adicionado a partir da quarta rodada. Os recursos do jogo são Carne, Vegetal e Suprimento.

Setup inicial. A primeira coleta de recursos será igual para todos os jogadores já que a Fazenda ainda está vazia. O primeiro jogador começa com Recursos zerados, o segundo com 1 Vegetal, o terceiro com 1 Carne e o quarto com 1 Suprimento.

Além dos mini tabuleiros individuais dos jogadores, o jogo conta ainda com 4 mini tabuleiros que irão formar um único tabuleiro central, no qual serão alocados os trabalhadores para a realização das ações, e mais 2 mini tabuleiros para posicionamento das cartas: Pesquisa e Contratos.

Tabuleiro central de alocação de trabalhadores. Suas áreas de alocação são: Dinossauros, Contratos, Barreiras, Pesquisas e Recursos.
Mini tabuleiros de Contratos e Pesquisa.

No início da partida, cada jogador recebe 2 cartas de Contrato Privado e deve escolher uma para ficar e descartar a outra. Na quarta rodada, junto com o meeple extra, os jogadores recebem mais uma carta de Contrato Privado adicional. Elas funcionam como objetivos secretos individuais.

Exemplos de cartas de Contratos Privados. Note que eles possuem a exigência de um dinossauros a mais do que os Contratos Públicos.

Os Contratos Públicos são os objetivos gerais disponíveis para serem cumpridos por qualquer jogador ao longo da partida. O cumprimento dos Contratos é uma das principais formas de pontuar no jogo. As outras formas são: por dinossauros na Fazenda e por cartas de Pesquisa. A quantidade de cartas de Contratos Públicos abertas deve ser o número de jogadores mais um, já a Pesquisa será sempre 3 cartas. Não há reposição após compra, essa só acontece na fase de Manutenção.

  • As Fases da Rodada

1- Coletar Recursos: Os jogadores coletam os recursos conforme os símbolos que estiverem descobertos em suas Fazendas. Ao posicionar um dinossauro sobre um símbolo de recurso, ele deixa de estar disponível. Na primeira rodada, cada jogador recebe 5 Vegetais, 3 Carnes e 1 Suprimento. A coleta dos recursos é uma das questões a serem avaliadas na decisão de quantos dinossauros manter simultaneamente na sua Fazenda.

Quanto mais cheia a sua Fazenda, menos Recursos ela irá gerar.

2- Alocar os Trabalhadores: A principal fase da rodada. Os jogadores podem alocar seus trabalhadores para adquirirem: Dinossauros, Contratos, Barreiras, Pesquisas e Recursos. Um mesmo espaço pode ser utilizado por mais de um jogador desde que ele supere a quantidade de meeples de quem está ocupando o local. Dos 4 meeples que os jogadores possuem, 1 deles possui o valor 2, enquanto os demais possuem valor 1. Saber o melhor momento de sua utilização é sempre importante, seja para benefício próprio quanto para atrapalhar o oponente.

O dado rolado na captura de dinossauros parece um pequeno toque de sorte propositalmente colocado no jogo.

Dinossauros: O jogo possui 4 tipos básicos de dinossauros que podem ser adquiridos. Existe um espaço de alocação para cada um deles e um quinto espaço para compra de qualquer um deles pagando 1 Suprimento. Ao adquirir um dinossauro em um dos espaço individuais, o jogador deverá rolar um dado que possui 3 possíveis resultados: Rede (nada acontece), Ovo (ganha um dinossauro adicional do mesmo tipo) e Ferimento (dinossauro e trabalhador vão para Área Médica). Todo dinossauro adquirido, com exceção do resultado Ferimento no dado, deve ser colocado na Área de Contenção que fica no mini tabuleiro Administrativo de cada jogador.

Se a face do dado mostrar Ferimento, então o dinossauro e o meeple vão para Área Médica, ficando lá até o término da fase de alocação.
Dinossauros e cercas vão para Área de Contenção e só serão posicionados durante a fase de Organizar a Fazenda.

– Contratos: Não existe compra de Contratos neste jogo, os jogadores apenas utilizam ação para o seu cumprimento se possuírem os dinossauros necessários para isso em suas Fazendas. Não é possível utilizar um dinossauro para cumprir um Contrato na mesma rodada em que foi adquirido, já que ele estará na Área de Contenção. Algumas cartas de Pesquisa permitem mover antecipadamente um dinossauro da Área de Contenção para Fazenda, o que normalmente só ocorre na Fase 4. São 2 os espaços para cumprir Contratos, um livre e outro com pagamento de 1 Suprimento.

Contratos Privados: Só podem ser cumpridos junto com um Contrato Público.

Exemplo de cumprimento de um Contrato Público.

– Barreiras: Uma regra importante é que os dinossauros não podem ficar soltos na Fazenda, senão eles fogem. Então, os jogadores antes de saírem adquirindo dinossauros, precisam criar os cercados em que eles serão colocados. Dinossauros de espécies diferentes não podem dividir um mesmo local. Existem espaços para aquisição de 1 ou 2 cercas e também movimentar as cercas e dinossauros, uma ação bastante importante para reorganizar a Fazenda. Assim como os dinossauros adquiridos, as novas cercas também vão para Área de Contenção. O mini tabuleiro de Fazenda vem com um cercado pronto com espaço para um dinossauro, no entanto é no único local que gera Suprimento. Água e Montanhas servem como cercas naturais, o que ajuda um pouco na hora de construir os cercados.

Dinossauros básicos precisam ficar em cercados divididos por espécies para não fugirem.

– Pesquisa: Único tipo de ação que não possui opção gratuita. Em seus 2 espaços, o jogador terá que arcar com um custo. As cartas de Pesquisa podem ser de 2 tipos: Melhorias ou Dinossauros Especiais. São cartas únicas e que ao término de rodada são descartas e substituídas por novas. Melhorias dão determinados benefícios que fogem a regra geral do jogo, como o exemplo dado mais acima. Já os Dinossauros Especiais dão mais pontos e possuem habilidades únicas. Eles não precisam ficar em cercados para evitar fuga, mas também não se reproduzem.

2 tipos de Pesquisa: Melhorias e Dinossauros Especiais.
Exemplo de cartas de Pesquisa do tipo Dinossauros Especiais com seus respectivos dinomeeples.
Cada carta de Pesquisa do tipo Dinossauros Especiais possui um dinomeeple único exclusivo.

– Recursos: Uma área basicamente para reforçar a quantidade de recursos dos jogadores. No início da partida não parece de grande importância, mas do meio para o final se torna vital para conseguir alimentar Fazendas cada mais cheia de dinossauros e rendendo menos recursos na Fase 1.

3- Recolher os Trabalhadores: Uma fase que nem precisava ter uma fase própria separada, na verdade. É apenas para retornar os meeples dos trabalhadores para o mini tabuleiro Administrativo e transferir os dinossauros que estiverem na Área Médica para Área de Contenção. É uma fase apenas burocrática.

4- Organizar a Fazenda: A segunda fase mais importante do jogo. Hora de arrumar as cercas e dinossauros que estão na Área de Contenção na sua Fazenda. Pode parecer fácil, mas não é nenhum um pouco. Principalmente porque (importante lembrar) não é permitido mover livremente os elementos que já estão lá. Não esqueçam que para movimentar algo que já tenha sido posicionado anteriormente é necessário usar a ação que transfere cerca ou dinossauro de volta para Área de Contenção. Essa é uma fase para “quebrar a cabeça” e vai se tornando cada vez mais difícil ao longo da partida, o que pode até mesmo gerar um certo AP (Analysis Paralysis). Ao término da fase, os dinossauros básicos que não estiverem devidamente contidos em seus cercados irão fugir.

Decidir o posicionamento dos cercados é um dos maiores desafios do jogo.

Punição para fugas: As punições são aplicadas apenas uma vez independente do número de fugas que tenham ocorrido, seus efeitos são diferentes de acordo com o tipo de dinossauro a ter escapado. No caso dos Herbívoros, o jogador perde 1 cerca da sua Fazenda. No entanto, isso não tem efeito de causar fugas adicionais. No caso dos Carnívoros, o jogador deve escolher um outro dinossauro qualquer para ser devorado. Assim sendo, o jogador perde 2 dinossauros. É uma possibilidade prevista em manual, o jogador resolver a punição de fuga de um Carnívoro devorando um Herbívoro que iria fugir e evitando assim a segunda punição.

5- Alimentar Dinossauros: Os jogadores devem alimentar todos os dinossauros em suas Fazendas. Cada espécie de dinossauro precisa de um tipo e uma quantidade específica de alimentos. Aqueles que não forem alimentados irão fugir conforme regra de punição descrita acima. Não custa lembrar que falta de alimentação é a única motivação de fuga para Dinossauros Especiais, mas isso é bem raro de acontecer já que o jogador decide em que ordem alimenta e provavelmente vai preferir sacrificar seus dinossauros básicos que são mais fáceis de repor.

6- Reproduzir Dinossauros: Um par de dinossauros da mesma espécie em um mesmo cercado geram um novo dinossauro, porém é necessário que haja lugar para colocá-lo, seja no próprio cercado dos pais ou em algum outro com espaço disponível. Não havendo local disponível na Fazenda para o novo dinossauro, ele irá fugir e se aplicarão a punição conforme já explicado mais acima. O que pode parecer aparentemente vantajoso, pode se revelar, na verdade, mais um complicador na administração da Fazenda. 

O novo dinossauros pode ficar no mesmo cercados dos pais ou em um novo cercado, conforme disponibilidade e preferência do jogador.

7- Manutenção: Mais uma fase burocrática. As cartas de Pesquisa que houverem sobrado são descartadas e 3 novas cartas são abertas, as cartas de Contratos Públicos são repostas, caso necessário, e o marcador de rodada é avançado.

Após o término da sexta rodada, a partida é finalizada e ocorre a contagem de pontos para a definição do vencedor. O mini tabuleiro para a realização da marcação da pontuação fica no verso daquele em que é realizado o controle das rodadas e que possui também a Área Médica. As pontuação são pelos Contratos cumpridos, cartas de Pesquisa e dinossauros na Fazenda. O desempate é pelo marcador de Primeiro Jogador.

A contagem da pontuação ocorre apenas no término da partida.

MODO SOLO

Como quase todos os jogos da série Tiny Epic aqui também temos modo solo. Devo confessar que não é algo que me atrai muito não. Eu li as regras, mas não me despertou vontade de experimentar. Por isso, não vou comentar aqui sobre ele, deixando apenas a foto abaixo dos componentes como informação apenas.

O mini tabuleiro utilizado no modo solo para Fazenda Rival é o verso do mini tabuleiro utilizado pelo jogador. Além disso, as ações são controladas por um mini baralho.

MINI EXPANSÃO LABORATORY

Laboratory é uma mini expansão muito simples, mas que achei que agrega bastante. Para mim já virou parte integrante do jogo. Estou colocando aqui no texto em separado apenas por uma questão de clareza. Até porque também não sei se a versão nacional virá com essa mini expansão ou se é algo apenas da versão Kickstarter.

Mini tabuleiro individual de laboratório e marcadores de proveta. Olha que lindo o marcador de microscópio.

A mini expansão Laboratory traz um mini tabuleiro individual adicional de laboratório para cada um dos jogadores com um marcador de microscópio e 9 marcadores coloridos de proveta que serão sorteados para serem posicionados em cada uma das 4 partes do tabuleiro central de alocação.

Os marcadores de proveta são sorteados a cada rodada e posicionados na parte de cima de cada uma das 4 partes que formam o tabuleiro principal.

A quantidade e a forma de distribuição desses marcadores irá mudar dependendo do número de jogadores. Ao executar uma ação em uma área do tabuleiro com o marcador de proveta colorido, o jogador movimenta em seu mini tabuleiro de laboratório o marcador de microscópio na direção da linha da cor correspondente, descartando em seguida aquele marcador de proveta utilizado.

Através dessa movimentação, o jogador receber: um dos 4 Dinossauros básicos, Recursos (os 3 tipos) ou cartas de Pesquisa. Ao chegar em um dos espaços de bonificação, o marcador de microscópio volta para sua posição inicial no centro do mini tabuleiro de laboratório.

Além dos componentes já descritos e explicados acima, a mini expansão Laboratory adiciona ao jogo ainda 4 novas cartas de Pesquisa e 2 novos dinomeeples.

Cartas de Pesquisa da mini expansão Laboratory. Deu trabalho procurar para mostrar porque já está tudo misturado.

A mini expansão Laboratory acaba funcionando quase como uma ação extra, o que é muito bom em um jogo em que as ações nunca parecem suficientes para alcançar o que se deseja. E faz isso sem grande adições ou modificações de regras que interfiram na estrutura original do jogo.

CONCLUSÃO

Tiny Epic Dinosaurs é um título altamente recomendado para apreciadores de jogos com mecânica de Alocação de Trabalhadores (e lágrimas). Porém, pode servir como uma ótima porta de entrada para apresentar esse estilo para novos jogadores. O tema e o visual conquistam de imediato, mesmo quem não seja exatamente fã de dinossauros. A simplicidade das regras e o tempo de partida relativamente curto complementam esse apelo.

Para quem não conhece a série Tiny Epic vai poder conhecer começando por um de seus melhores títulos com toda certeza. Assim como achei no passado que a Meeple BR fez uma ótima escolha com Tiny Epic Galaxies para primeiro lançamento da linha no Brasil, elogio também a escolha agora do Tiny Epic Dinosaurs. Também está anunciada chegada por aqui de Tiny Epic Zombies através da mesma editora.

Um fato curioso: Meeple BR já pode se apresentar como a editora oficial dos jogos de dinossauro no Brasil. Eles já publicaram por aqui os excelentes Ilha dos Dinossauros e Draftossauros. Será que dinossauros é a temática da moda do momento nos boardgames?

Assista também ao nosso vídeo de análise e explicação de regras:

Compartilhe:

Um comentário em “Análise: Tiny Epic Dinosaurs, da Gamelyn Games”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *