Análise Prévia: Hokusai, da Ludens Spirit

Hokusai é um jogo para 2 a 5 jogadores, com temática de pintura japonesa e que utiliza como mecânicas principais Coleção de Componentes e Construção de Peças. De autoria dos game designers brasileiros Bianca Melyna e Moisés Pacheco, seu lançamento está sendo realizado através de uma campanha de financiamento coletivo no Catarse pela Ludens Spirit.

Bianca Melyna e Moisés Pacheco já são nomes conhecidos entre os jogadores de boardgames devido ao Grasse, jogo anterior lançado por eles e que alcançou bastante sucesso, se tornando vencedor do Prêmio Ludopedia em 2018, na categoria Jogo Expert – Designer Nacional, tanto pela votação popular quanto pela votação do júri especializado. 

Imagem de divulgação do início da campanha de financiamento coletivo.

O jogo se chama Hokusai em referência a Katsushika Hokusai, autor da icônica e internacionalmente conhecida obra A Grande Onda de Kanagawa. O pintor é um dos maiores mestres do estilo Ukiyo-e, um gênero de xilogravura e pintura que prosperou no Japão entre os séculos XVII e XIX, se tornando praticamente um sinônimo de arte japonesa devido a sua posterior popularização no ocidente.

Talvez você não soubesse o nome da obra, mas muito provavelmente já a viu antes.

Em Hokusai, os jogadores são aprendizes da tradicional arte Ukiyo-e que nos é apresentada através de diversas obras desse grande mestre do estilo. Sendo um jogo sobre pintura, um de seus principais elementos são as cores. A mecânica de Construção de Peças é utilizada na gestão das gotas de pigmento, desde a obtenção até o uso final. Color Building (Construção de Cores) é como os autores chamaram essa aplicação específica da mecânica em seu jogo.

Mesa montada para começar uma partida de Hokusai com 4 jogadores.

A mecânica de Construção de Peças é uma generalização da mecânica de Construção de Baralho. Os game designers começaram a enxergar que poderiam aplicar o mesmo princípio de compra de cartas para outros tipos peças de um jogo. Todos os jogadores começam com os mesmos elementos básicos e vão comprando novos no decorrer da partida, expandindo e personalizando assim seus conjuntos em um sistema rotativo, em que apenas alguns itens vão estar disponíveis a cada vez para serem jogados.

COMO JOGAR

AVISO: Esta análise do Hokusai é prévia, pois o jogo está em financiamento coletivo e o contato que tivemos com ele foi através de versão digital e depois pelo protótipo enviado ao canal pela editora. Assim sendo, não há como avaliar qualidade de componentes e as próprias regras podem estar sujeitas a alterações. 

  • Preparação

Hokusai é um jogo que pode parecer um pouco complexo à primeira vista, principalmente pela sua quantidade de peças, mas que se mostra até relativamente simples em suas regras gerais, pedindo um pouco mais de atenção apenas em seus detalhes.

Cada jogador possui um tabuleiro individual, que representa o seu atelier de pintura, começando a partida com 2 gotas de cada uma das 3 cores primárias (azul, amarelo e vermelho) em sua área ativa, 4 gotas pretas em seu saquinho, 1 carta de objetivo secreto e 1 carta de kakemono (como a pintura é chamada no jogo) de valor 3.

Tabuleiro individual pronto para o início da partida.
Gotas pretas começam no saquinho, portanto ainda não disponíveis para utilização.

Além disso, os jogadores recebem marcadores de assinatura para identificarem seus kakemonos depois de prontos e escolhem 1 carta de artesão, ao posicionarem seu meeple de aprendiz no rondel (tabuleiro central de ações), e 1 carta de mestre, que lhe dará uma habilidade individual única durante a partida.

Alguns exemplos de cartas de mestre.

No rondel, teremos 1 carta de kakemono (com 2 fichas de ferramentas sobre cada uma delas) e 1 carta de artesão (distribuídas de forma intercalada), as fichas de ação (apenas a número 1 é obrigatória, as demais são aleatórias) e as gotas de pigmento (a quantidade vai variar de acordo com o número de jogadores).

Apesar de ser chamado de rondel, o tabuleiro central concentra outras ações do jogo.

Tanto a escolha do posicionamento inicial no rondel quanto da carta de mestre ocorre em ordem inversa, do último para o primeiro jogador, equilibrando assim a vantagem. A quantidade de cartas de mestre abertas será o número de jogadores na partida mais um. 

Além do tabuleiro central de ações, em que temos o rondel, e dos tabuleiros individuais; o jogo possui um terceiro tabuleiro, que chamo por conta própria de administrativo. Ele possui uma área para o posicionamento das cartas de kakemono concluídas, uma tabela de controle da quantidade de gotas que cada jogador possui (começa no 10), uma área para os objetivos públicos (são usados 2 aleatórios por partida) e áreas para acomodação dos baralhos de kakemono e artesão e das gotas de cores secundárias (verde, roxo e laranja).

Tudo em Hokusai possui um lugar exato para ser posicionado.

Em 1 dos 4 quadrados centrais da área destinada ao posicionamento das cartas de kakemono concluídas deve ser colocada 1 carta de kakemono de valor 3. As demais cartas restantes desse valor devem ser devolvidas à caixa do jogo, assim como são devolvidas as cartas de objetivos e mestres também não utilizados.

  • Ações 

Em Hokusai, o jogador deve escolher apenas 1 ação principal (entre 4 possíveis) para executar e pode adicionalmente realizar 1 ação secundária (entre 3 possíveis).

1- Rondel

Pegar 1 carta de kakemono ou 1 carta de artesão ou ativar ficha de ação ou coletar gotas de pigmento.

O jogador executa a ação no rondel na posição em que seu meeple de aprendiz estiver localizado.

Para se mover pelo rondel, os jogadores precisam utilizar suas gotas pretas. O que só poderá acontecer a partir da segunda rodada, já que elas não começam na área ativa do jogador.

A quantidade total de gotas de pigmento que um jogador possui determina quantas gotas ele poderá ter na sua área ativa e quantas poderá coletar no rondel. Em geral, o jogador pode ter no máximo 6 gotas na área ativa e coletar 2 gotas no rondel. 

As gotas coletadas no rondel vão para o descarte (potinho inferior do tabuleiro individual), para depois irem para o saquinho e por fim para área ativa do jogador (potinho superior do tabuleiro individual).

2- Misturar pigmentos

Para obter as cores secundárias, os jogadores precisam realizar uma mistura de cores primárias. Não existe limite para a quantidade de misturas, o jogador pode fazer quantas lhe for possível. As gotas utilizadas são devolvidas ao rondel, começando a partir da posição em que estiver o meeple de aprendiz do jogador, uma gota por espaço no sentido horário ou anti-horário. Após isso, o rondel é girado quantos espaços e para o lado que o jogador quiser, só não é permitido retornar a posição em que se encontrava antes. O jogador pode ativar a ficha de ação da posição escolhida.

Uma “colinha” para quem não lembrar qual mistura dá origem a qual cor.

3- Expor kakemono

Quando o jogador tiver todas as gotas de pigmento solicitadas por uma carta de kakemono, ele poderá realizar a sua exposição. A carta é virada do lado monocromático para o colorido e posicionada no tabuleiro com a área reservada para essa finalidade, acompanhada pelo marcador de assinatura daquele jogador. As gotas de cores primárias utilizadas são devolvidas ao rondel, conforme explicado no item acima, e as gotas de cores secundárias são devolvidas à reserva geral.

As 2 gotas vermelhas seriam devolvidas ao rondel, enquanto que as gotas roxa e laranja iriam para reserva geral.

Nas laterais da carta de kakemono, existem ícones de gotas de cores primárias, kakemonos e artesãos. Ao posicionar sua carta de kakemono ao lado de outra que tenha um ícone do mesmo tipo, o jogador pode ganhar um bônus. É um ótimo modo de conseguir gotas de cores secundárias sem precisar gastar ação de misturar.

No exemplo, o jogador iria receber de bônus 1 gota roxa e 1 gota laranja.

4- Descartar pigmentos

Descarta todos os pigmentos da área ativa e repõe com novos comprados do saquinho. A ação secundária pode ser realizada antes ou depois. 

Essas foram as ações principais possíveis, agora vamos às ações secundárias:

1- Ativar artesãos

As cartas de kakemono quando são compradas vêm com 2 marcadores de ferramentas sobre elas. Enquanto esses marcadores não forem retirados, o jogador não pode realizar a sua pintura. As cartas de artesão servem para realizar essa retirada, porém cada uma delas vem com um tipo específico de ferramenta. São 5 tipos diferentes de ferramentas no jogo e o jogador pode ter até 3 cartas de artesão ao mesmo tempo. Entre as pontuações do jogo temos por coleção desses marcadores. Além disso, cartas de artesãos também dão bônus de pontuação ou uso de cores.

No exemplo, temos 2 cartas de artesão que correspondem aos marcadores de ferramentas na carta de kakemono.
Exemplos de artesãos de cada 1 das 5 ferramentas.

2- Descartar artesão

Algumas vezes pode ocorrer da carta de artesão necessária não está disponível para compra no rondel. A solução para isso é descartar uma carta qualquer para poder realizar a retirada do marcador desejado. Descartar artesão também se faz necessário para abrir espaço para novos, seja por serem de ferramentas diferentes ou por oferecem bônus mais vantajosos.

3- Pintar parcialmente

É muito difícil um jogador ter exatamente todas as gotas de pigmento necessárias ao mesmo tempo na sua área ativa para realizar a ação principal de expor. Para isso serve essa ação secundária em que o jogador pode ir colocando aos poucos as gotas de pigmento em suas cartas de kakemono, possibilitando assim com mais facilidade a futura ação de expor.

O jogador pode ir avançando aos poucos na pintura de seus kakemono até poder concluí-los.

Após todos os jogadores realizarem suas ações, eles devem conferir a tabela de controle da quantidade total de gotas de pigmento, pois a quantidade irá mudar a todo momento com os jogadores comprando novas gotas no rondel, realizando misturas de pigmentos, expondo dos kakemonos e ganhando gotas de bônus. Esse controle deve ser realizado conforme essas mudanças ocorrem no decorrer das ações, entretanto é recomendável sempre fazer uma conferência geral antes do início da próxima rodada.

O controle da quantidade de gotas de pigmento exige bastante atenção dos jogadores.

Esse é um ponto fraco do jogo, pois é um processo bastante trabalhoso e burocrático. Em várias partidas, na hora dessa conferência geral, foram encontrados erros, por mais que houvesse um esforço por parte dos jogadores em ir atualizando as quantidades logo após as ações. E, na maior parte do tempo, não vai fazer diferença porque alterações só ocorrem nas quantidades mais baixas e mais altas.

Hokusai não possui um número determinado de rodadas, sendo o término da partida circunstancial. O que pode ocorrer de 2 formas: Por um determinado número de kakemonos expostos (varia de acordo com o número de jogadores) ou se um jogador utilizar todos os seus marcadores de assinatura. O jogador que aciona o final da partida recebe uma carta bônus de 2 pontos e a rodada segue até o seu término.

Cada vez que um jogador expõe um kakemono, ele precisa posicionar um marcador de assinatura para registrar que aquela carta é sua.

A principal forma de pontuação em Hokusai é através da soma do valor dos próprios kakemonos concluídos pelo jogador, mas além disso também é pontuado objetivos públicos e individuais, variedade e coleção de ferramentas, kakemonos pintados parcialmente e cartas de artesãos que deem pontuação. 

Folha e guia de pontuação.

CONCLUSÃO

Hokusai é sem dúvida mais um trabalho muito competente dos game designers Bianca Melyna e Moisés Pacheco, que não apenas os coloca em destaque mais uma vez, mas os consolida como referências no mercado nacional de boardgames. Este novo lançamento tem potencial para alcançar o mesmo sucesso de seu antecessor, e até mesmo superá-lo. 

É mais um trabalho em que o tema é muito bem desenvolvido, existe uma preocupação com os detalhes bastante perceptível. Apesar do chamado Color Building ser a principal mecânica do jogo, temos uma série de outras mecânicas sendo utilizadas de forma muito bem aplicadas e amarradas que tornam a jogabilidade bastante sólida.

Hokusai possui um conjunto de mecânicas que são muito bem utilizadas em prol de seu tema.

O rondel é um elemento que costuma causar divergências, alguns jogadores gostam muito e outros nem tanto. Seu uso no jogo, apesar do grande destaque visual, acaba sendo mais pontual. Assim sendo, acaba sendo um elemento que potencialmente vai agradar quem gosta sem desagradar aqueles que são menos favoráveis a ele.

Quanto ao seu funcionamento em diferentes quantidades de jogadores foi algo que agradou bastante. As alterações bem são poucas, o que é bastante positivo. Seja com apenas 2 jogadores ou com mesa cheia a sensação da partida não muda muito. Hokusai não possui aquele problema de ficar “frouxo”.

Por fim, a parte gráfica também merece os parabéns. Iconografia simples e clara que facilita muito o bom entendimento do posicionamento das peças e tudo possui um lugar para ser colocado. Destaque para o tabuleiro individual, certamente um dos melhores já experimentados, beleza e funcionalidade juntos.

CATARSE

A campanha de financiamento coletivo no Catarse foi iniciada em 18/03, com meta batida em menos de 24 horas, e vai até 28/04. Hokusai teve valor promocional nas primeiras 48h, mas mesmo o valor normal foi uma surpresa positiva, ficou abaixo do que eu havia imaginado pelo porte do jogo. Uma boa notícia em tempos de jogos com valores cada vez mais elevados.

No quesito metas estendidas, nada de muito surpreendente até o momento em que o presente texto está sendo escrito (temos metas reveladas até 80k). A maioria das metas são melhoria e inclusão de componentes, gostei particularmente da impressão no saquinho e o protetor para tabuleiro. Este último que inclusive veio na versão protótipo do jogo recebida pelo canal.

Achei esse protetor de tabuleiro muito bacana.

Gostaria de encerrar agradecendo a Ludens Spirit pela gentileza de entrar em contato para oferecer uma cópia da versão protótipo do jogo. O canal estava parado já havia alguns meses e eu nem sabia se ia voltar com ele ou não. Poucas editoras costumam se preocupar com canais menores, pois teoricamente tem uma rentabilidade menor. Imagina um canal sem produzir nada por tanto tempo. Foi um incentivo muito significativo.

Confira também a nossa análise em vídeo sobre o jogo:

Compartilhe:

2 comentários em “Análise Prévia: Hokusai, da Ludens Spirit”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *