Análise: Cangaço, da Buró Editora

Cangaço é um jogo rápido e divertido, para 2 a 4 jogadores e que utiliza como mecânicas principais Seleção de Cartas e Coleção de Componentes. De autoria do game designer carioca Sanderson Virgolino, ele acaba de ser finalmente publicado pela Buró Editora. Com arte de Dan Ramos, em estilo Cordel, sua temática brasileira se destaca e o diferencia de outros jogos de mesmo estilo.

O game designer Sanderson Virgolino é um autor cujo trabalho acompanho relativamente de perto já faz alguns anos. Um daqueles talentos excepcionais que a gente se pergunta “como ainda não descobriram esse cara?” e nos deixa triste em não ser dono de editora para poder publicar tantos jogos incríveis que estão por aí virando protótipos esquecidos. São os mistérios não tão misteriosos assim do nosso mercado.

A primeira vez que joguei Cangaço foi em 2017.
Sanderson (a caráter) apresentando o jogo em evento.

Cangaço é apenas o seu segundo jogo publicado, o primeiro foi o Bushido (2019) pela editora On The Table, e a história de todo o processo até seu lançamento é bem longa. Por isso, fico muito feliz por enfim vê-lo chegar às prateleiras das lojas e às mesas dos jogadores com toda a merecida qualidade. Simplesmente não há do que reclamar em termos de material físico do jogo, a Buró Editora fez muito bem o seu trabalho, nos trazendo um excelente produto.

Uma felicidade muito grande ver o protótipo virar esse jogo bonitão.

O Cangaço é um jogo de Drafting, que costuma ser comumente traduzido como Seleção de Cartas, uma forma de nomear a mecânica que acaba não sendo muito autoexplicativa. Talvez um jeito melhor de deixar mais claro do que se trata seria chamar de Pegar e Passar, porque é exatamente isso o que os jogadores fazem.

É distribuída uma determinada quantidade de cartas para os jogadores, eles escolhem uma para jogar e passam o restante para o jogador ao lado (seja no sentido horário ou no anti-horário). Isso vai sendo repetido até que todas as cartas tenham sido jogadas. Como exemplos de jogos famosos que utilizam essa mecânica podemos citar Sushi Go e 7 Wonders.

Dependendo do jogo, as cartas jogadas podem ser descartadas de uma rodada para outra ou mantidas durante toda a partida. É muito comum que as partidas de jogos que utilizam essa mecânica possuam 3 rodadas de duração, podendo ou não haver algum tipo de variação entre elas.

Em Cangaço, as cartas permanecem na mesa durante toda a partida, conforme forem sendo jogadas ao longo de suas 3 rodadas. Em cada uma delas, uma nova carta de condição de pontuação será aberta na mesa. Assim sendo, parte da pontuação que estará válida naquela partida vai sendo revelada apenas no decorrer dela.

COMO JOGAR

Antes de realizar a distribuição das cartas, em partidas com menos de 4 jogadores, devem ser retiradas do baralho a ser utilizado as cartas conforme indicadas. No mais, não há diferenciação entre as cartas utilizadas em cada rodada, o baralho será único durante toda a partida.

A distribuição de cartas em cada rodada é fixa, independente do número de jogadores. Todos recebem 7 cartas na primeira, 8 cartas na segunda e 7 cartas na terceira. Nas rodadas 1 e 3, a última carta na mão dos jogadores deverá ser descartada.

As rodadas são marcadas pelas cartas de Estação, que trazem a informação explicada acima e que também são o local em que serão abertas as cartas de condição de pontuação, chamadas no jogo de cartas de Cordel. Será aberta uma nova a cada início de rodada.

As cartas de Estação organizam a partida.

As cartas em Cangaço se dividem em únicas e conjuntos (duplas ou trios). Os conjuntos formados por duplas são a maioria. Em geral, as cartas têm seus efeitos ativados quando jogadas, com algumas poucas exceções. No caso das duplas, elas são ativadas apenas quando completadas. Mas, logo ao ser jogada, o Recurso indicado na carta deve ser colocado sobre dela.

Os 3 tipos de Recurso do jogo são: Farinha, Munição e Cachaça.

O principal em Cangaço é entender bem o efeito de cada tipo de carta do jogo, então vamos conhecê-las:

Chefe do Bando: Carta única. Não pode ter mais de 1 cópia na área do jogador. Fornece os 3 recursos do jogo e vale 2 pontos.

Os Cabras: Carta única. Pode ser descartada para proteger Chefe do Bando quando atacado por Tiroteio. Sua pontuação é por quantidade (1,3,5,7,9 pontos).

Tiroteio: Conjunto (dupla). Faz o jogador alvo descartar uma carta única ou conjunto incompleto a escolha do atacante. Cada carta do conjunto vale 1 ponto.

Tocaia: Conjunto (dupla). Pega 1 recurso de um outro jogador. Não pode ser usado contra Coiteiro. Cada carta do conjunto vale 1 ponto.

Coitero: Conjunto (dupla). O jogador pode armazenar 2 recursos de cartas suas únicas ou conjuntos incompletos. Após isso, uma vez por rodada após o efeito de todas as cartas, o jogador pode guardar 1 recurso de qualquer uma de suas cartas nele. Cada carta do conjunto vale 1 ponto.

Igreja: Conjunto (dupla). Permite ativar novamente uma carta única ou conjunto já utilizado anteriormente. Cada carta do conjunto vale 1 ponto.

Padim: Carta única. Permite pegar 1 Os Cabras de outro jogador, porém o recurso é descartado. Vale 1 ponto para cada 2 recursos do tipo Farinha.

Volante: Carta única. Bloqueia a ativação de Tiroteio e Tocaia. Vale 1 ponto para cada 2 recursos do tipo Munição.

Mascate: Carta única. Permite trocar 1 recurso de suas cartas por 1 outro recurso da reserva à escolha do jogador. Vale 1 ponto para cada 2 recursos do tipo Cachaça.

Coroné: Carta única. Pode ser trocada por uma carta qualquer do descarte, que irá receber normalmente o recurso indicada nela.

Acampamento: Conjunto (trio). Dobra a pontuação de um conjunto completo ou carta única. Os Cabras não valem como um conjunto, nesse caso vai contar como uma carta extra.

Por se tratar de um jogo em que as cartas são jogadas simultaneamente, pode acontecer conflitos relacionados a ordem de resolução dos efeitos. A ordem de prioridade é Volante > Igreja > Tiroteio > Tocaia > Coitero. Se ainda assim, houver conflito, como por exemplo em jogadores com cartas iguais, a prioridade é do jogador com mais recurso do tipo Munição.

Apenas cartas únicas e conjuntos completos contam para a pontuação, todos os conjuntos incompletos junto com os seus respectivos recursos devem ser descartados. Então são somados as pontuações das cartas de cada jogador e aplicados os efeitos de Acampamento que eles tiverem e das cartas de Cordel, que são condições válidas para todos.

CONCLUSÃO

Cangaço consegue integrar um tema que chama atenção e desperta interesse com uma mecânica simples e bastante conhecida. A arte em estilo Cordel amarra muito bem esses dois pontos e concede ao jogo uma forte personalidade. A ideia de boa parte dos tipos das cartas serem formados por 2 partes que juntas se completam na formação do desenho é maravilhosa, unifica todos os elementos.

Além disso, possui uma grande relevância mecânica ao tornar mais difícil efetuar os efeitos desses tipos de cartas. É um passo acima do conceito de juntar mais de uma cópia da mesma carta, comum em alguns jogos; é preciso conseguir suas diferentes partes. A carta Acampamento em especial, por ser a única formada em 3 partes, é o conjunto mais forte e o mais difícil de completar, ainda mais que há no jogo exclusão de cartas.

O apelo estético é bem evidente, mas além de ficar lindo na mesa, ele tem uma função de servir como estímulo para os jogadores. Dá uma satisfação adicional completar os conjuntos. Algo muito bacana é que não apenas as cartas que formam conjuntos completam desenhos. Todas as cartas podem ser colocadas juntas para formarem uma única grande arte, que é o que está na lateral da caixa do jogo e também na sua parte interna.

Mesmo cartas de tipos diferentes juntas formam um só grande desenho.
A arte completa pode ser conferida na lateral da caixa e também na sua parte interna.

Ainda comentando sobre as cartas do jogo, a ideia das cartas de Estação foi ótima, foi mais um elemento que enriqueceu visualmente o jogo, deixou o posicionamento das cartas de Cordel lindo. Uma ideia de composição entre elementos simples mas eficaz, um agregando ao outro, ao mesmo tempo que deixa o jogo mais organizado. Deixou acessível de forma agradável uma série de pequenas informações, que em outros jogos fica por conta dos jogadores decorarem.

Beleza e funcionalidade em uma elegante solução de design.

Da versão protótipo para essa versão final, as cartas de Estação e cartas de Cordel foram as maiores novidades. Existia antes um conjunto de cartas com outro nome, mas com a mesma função das cartas de Cordel. Entretanto, toda a mudança realizada nessa parte foi um acréscimo positivo bastante significativo.

A evolução da carta de Peleja (protótipo) para carta de Cordel (versão final).

Quanto a parte material do jogo, como já dito no início do texto, não há do que reclamar, a Buró Editora fez um trabalho excelente, entregando um produto de muita qualidade. Cangaço vem em uma boa caixa, com um berço firme, nada daquelas coisas molengas que conforme os componentes se movem vai ficando todo torto.

O verniz localizado tanto na caixa quanto nas cartas, que aliás são de boa gramatura, ficou muito bonito. Entretanto, sobre as cartas, por melhor que seja a qualidade do material, recomendo o uso de sleeves. Ainda mais se tratando de um jogo que as cartas vão ser constantemente embaralhadas e são de cor clara.

Outro ponto que vale destacar é o cuidado com o manual. Além de ser bem escrito e ilustrado, essa capa ficou excelente. Um tipo de atenção com a temática em um detalhe que merece ser elogiado. É aquele “a mais” que faz a gente sorrir antes mesmo de começar a jogar e já nos coloca no clima para partida.

Atenção em todos os detalhes. Excelente tematização até no manual.

Porém, existe uma crítica a ser feita justamente sobre atenção aos detalhes nesse jogo. Apesar de tudo que foi elogiado aqui, algo importante parece ter infelizmente passado desapercebido. Cangaço não vem com um Guia de Referência (o famoso “Player Aid”). Então, as primeiras partidas acabam sendo manual passando de mão em mão para consultar efeitos das cartas, o que é um pouco desagradável. O engraçado é que na versão protótipo ele existia.

Confira também a nossa análise em vídeo sobre o jogo:

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *