Análise: Deusastrados, da TGM Editora

Deusastrados, do game designer Alexander Francisco, é mais um ótimo jogo festivo nacional lançado no mercado pela TGM Editora. Ele comporta 2-4 jogadores e utiliza uma eficiente combinação de Ação Simultânea com Poderes Variados, Reconhecimento de Padrões e Toma Essa. Destaque para a bela arte de Guilherme Cavalcante.

Continuar lendo Análise: Deusastrados, da TGM Editora

Compartilhe:

#8M Nós Queremos Respeito!

Ontem foi o Dia Internacional de Luta pelos Direitos das Mulheres, uma data que para mim dentro do boardgame acabou ficando marcada por uma série de coisas bem ruins. Então, nunca é fácil decidir o que fazer exatamente nesta data porque se tornou algo doloroso. Porém, considero uma vitória pessoal estar mais um ano aqui com o Turno Extra, apesar de todos os problemas. Assim sendo, mesmo sem esperanças de que vai adiantar alguma coisa, aqui estamos mais uma vez erguendo a voz para lutar pelo nosso direito de sermos respeitadas. Continuar lendo #8M Nós Queremos Respeito!

Compartilhe:

Notícia: Potato Cat anuncia encerramento de suas atividades

A Potato Cat sempre foi uma das minhas editoras nacionais favoritas, então foi com grande pesar que li o comunicado sobre o encerramento de suas atividades. Certamente, uma grande perda para o nosso mercado. O lançamento mais recente deles foi o Sereias, dos game designers Jorge Luís Rocha e Sabrina do Valle, e há ainda mais um último jogo que será publicado – o Cyber Squad, dos game designers Eduardo Guerra e Leonardo Costa.

Continuar lendo Notícia: Potato Cat anuncia encerramento de suas atividades

Compartilhe:

Análise: Don’t Turn Your Back, de O Capturador

Don’t Turn Your Back, do game designer Eric B. Vogel, publicado originalmente pela Evil Hat Productions, e lançado no Brasil pela O Capturador, é uma empolgante mistura de Construção de Baralho, Alocação de Trabalhadores e Controle/Influência de Área. O jogo que comporta de 2-4 jogadores é ambientado no interessante universo do RPG de terror Don’t Rest Your Head, que nos apresenta a insanidade do mundo dos pesadelos, muito bem representada pela arte de George Cotronis.

Continuar lendo Análise: Don’t Turn Your Back, de O Capturador

Compartilhe:

Análise: Córtex Desafios, da Mandala Jogos

Córtex Desafios foi um dos jogos festivos mais divertidos que joguei recentemente. Lançado no Brasil pela Mandala Jogos, ele apresenta 8 tipos de Desafios distintos que variam entre diferentes possibilidades de utilização de Memória e Reconhecimento de Padrões combinados com Ação Simultânea para testar a capacidade mental de 2-6 jogadores. Seu preço está na faixa dos R$70, o que o torna ainda bastante competitivo, principalmente pelo seu diferencial de possuir cartas texturizadas.

Continuar lendo Análise: Córtex Desafios, da Mandala Jogos

Compartilhe:

Análise: Sirvam o Rei, da TGM Editora

Sirvam o Rei, do game designer Joshua Kritz, é uma primeira tentativa muito necessária da TGM Editora de lançar um jogo pequeno e de baixo custo. Com uma caixinha que cabe no bolso e valor abaixo da linha dos 50 reais, o jogo para 3-6 jogadores é uma combinação de Memória e Gestão de Mão, com algumas doses de Toma Essa e Blefe. Destaque para a bela arte de Diego Sá.

Continuar lendo Análise: Sirvam o Rei, da TGM Editora

Compartilhe:

Análise: Dead & Breakfast, da Braincrack Games

Dead & Breakfast é um jogo de colocação de peças em que os jogadores disputam quem consegue construir o melhor hotel mal-assombrado. Lançado através de uma bem-sucedida campanha de financiamento coletivo pela Braincrack Games, trata-se do primeiro trabalho publicado do game designer carioca Rodrigo Rego.

Continuar lendo Análise: Dead & Breakfast, da Braincrack Games

Compartilhe:

Ms. Monopoly e a hipocrisia da Hasbro

Ms. Monopoly é o nome da nova versão anunciada pela Hasbro de um dos jogos de tabuleiro mais populares do mundo. A empresa anunciou que o objetivo destacar o pioneirismo feminino ao colocar diversas criações realizadas por mulheres. Tudo muito bonito se não fosse o fato da autora original do jogo continuar sendo ignorada até os dias de hoje.

Continuar lendo Ms. Monopoly e a hipocrisia da Hasbro

Compartilhe:

Entrevista com Elizabeth Hargrave, game designer do Wingspan

Elizabeth Hargrave é certamente uma das maiores revelações que o universo boardgame teve nos últimos tempos. Wingspan, seu jogo de estreia, conquistou as mesas de jogadores por todo o mundo e o prêmio mais importante da indústria, o Kennerspiel des Jahres.  Em um meio tão difícil de vermos mulheres em posição de destaque, o sucesso alcançado por ela tem um significado ainda maior, a transformando em uma inspiração.

Continuar lendo Entrevista com Elizabeth Hargrave, game designer do Wingspan

Compartilhe:

Análise: Wingspan, da Ludofy Creative

Quando Wingspan foi lançado chamou bem pouco a minha atenção. Apesar de gostar de jogos com temáticas diferentes, estou realmente cansada de fantasia medieval estilo D&D, observação de pássaros não é um tema dos mais atrativos. Porém, praticamente todos os dias aparecia alguma foto nas minhas redes sociais, o que começou a mexer com a minha curiosidade. Fora que o jogo tem uns componentes realmente bem bonitos.

Continuar lendo Análise: Wingspan, da Ludofy Creative

Compartilhe: