[Atualizado] Die Die DIE é mais um financiamento nacional que inicia em outubro

Além do Café Express, da Potato Cat, os fãs de jogos de tabuleiro contarão com outro grande jogo em financiamento coletivo a partir de outubro: Die Die DIE, da Redbox Editora. O título é criação da dupla Rômulo Marques e Carlos Couto e vem também assinado pelo selo ACE Studios, editora de Warzoo. Para dar a notícia, a Redbox mostrou toda a arte de capa do novo game, que é assinada por Lucas Ribeiro – artista de Space Cantina.

Não foram divulgados, ainda, os detalhes de preço, duração da campanha ou primeiros extras que Die Die DIE deve oferecer aos seus apoiadores. Também não há data de lançamento prevista, então resta aguardar por mais notícias a respeito do game e sua campanha. Para quem quiser ficar de olho, é possível inscrever-se neste link e receber novidades na data de estreia do financiamento coletivo.

Atualização: a ACE Studios confirmou que a campanha começa em 8 de outubro.

Para quem ainda não conhece, Die Die DIE é um jogo de dados onde é preciso dar petelecos para que eles caiam no mapa, em áreas que concedem benefícios e outras melhorias. O objetivo é somar pontos e vencer os adversário. Abaixo você confere uma versão de protótipo, gravada com o Turno Extra e Rômulo Marques:

Compartilhe:

Entrevista: ACE Studios no Diversão Offline 2017

Vem aí uma nova edição de Space Cantina? Na gringa? Sem cantina? Conversamos com Marcos Mandina no Diversão Offline 2017! Ele é um dos sócios da ACE Studios, a produtora que lançou, entre outros jogos, Sapotagem, Medievalia e Encantados. Ele falou sobre as próximas novidades da empresa como editora e também como selo de publicação. Confira, logo abaixo, e saiba tudo que foi falado:

Compartilhe:

Entrevista: Multiverso Jogos fala sobre sua estreia e parceria com ACE Studios

Noticiamos a estreia da Multiverso Jogos, nova editora no mercado brasileiro de jogos, nesta semana. Para saber mais e levar conteúdo fresco aos leitores e leitoras, fomos atrás dos responsáveis pela empreitada e conversamos um pouco sobre esta chegada, primeiro jogo, parcerias e outros tópicos relevantes. Confira a entrevista que o Turno Extra fez com Ronaldo Mose, um dos sócios da editora, logo abaixo:

A Multiverso estreia no mercado nacional

Turno Extra: Olá pessoal! Sejam bem-vindos! Quem são as pessoas envolvidas na Multiverso e de onde surgiu a ideia para a editora?

Ronaldo Mose: A Multiverso tem três sócios: Jon, Guedes e Ronaldo. Conversas sobre empreender sempre foram constantes no nosso grupo, até que um dia o Guedão fez a pergunta origem para mim: ‘Quanto você acha que precisamos para trazer um determinado jogo (fica o suspense no ar qual foi esse jogo perguntado)?’. A partir daí, começamos a pensar de fato em montar uma editora e convidamos o Jon para entrar nessa jornada também.

O time principal da Multiverso Jogos

Turno Extra: Haru Ichiban parece ser muito legal e ter mais um jogo do Cathala no mercado é sempre importante! Mas vocês têm algum receio por ele ser um jogo pra dois jogadores apenas? Isso pode limitar o público?

Ronaldo: De fato, quando o Marcos [Mandina], da ACE, veio com o Haru Ichiban para conversamos, fizemos um estudo de viabilidade e esse foi o único ponto negativo que conseguimos achar. Contudo, com tantos pontos positivos, não poderíamos ser pessimistas e fechar a porta para esta grande oportunidade. Patchwork é uma prova que jogos para dois jogadores têm o seu espaço no mercado, e como não aproveitar o momento para citar um dos mais novos lançamentos da Galapagos, o Rebelion? Um jogo de duas pessoas muito mais pesado que os outros citados.

Turno Extra: Vimos que vocês têm parceria com a ACE Studios, em que sentido? Eles vão ajudar na produção ou negociação de jogos no exterior?

Ronaldo: É um lançamento conjunto. As duas editoras estão trabalhando e aprendendo sobre essa parte localizar jogos do exterior no Brasil. Nesse momento a parceria está focada neste jogo, o Haru Ichiban, mas nada impede que novas surpresas surjam em um futuro próximo.

Haru Ichiban, o primeiro jogo

Turno Extra: A Multiverso parece ser do RJ. Vocês terão seus jogos nas lojas de todo o Brasil ou por enquanto só por aqui?

Ronaldo: A Multiverso é sim, do RJ, mas nosso foco é que os jogos cheguem em todo o Brasil.

Turno Extra: Qual vai ser o principal diferencial da Multiverso no mercado atual?

Ronaldo: Isso é difícil cravar. Existe uma boa gama de editoras no mercado e acreditamos que outras tantas vão surgir. O que nós realmente queremos é conquistar nossos consumidores pela transparência e comprometimento com aquilo que for acordado. Trabalhar com aquilo que realmente é factível para crescer com qualidade e confiança do mercado.

O Turno Extra agradece pela oportunidade da entrevista e deseja sucesso à nova editora no mercado nacional!

Compartilhe: