Guadalupeças – Especial Quadrinhos

Eu sempre gostei muito de eventos com edições temáticas, acho que elas promovem uma maior interação entre os participantes do evento e ainda são mais atrativas para novos jogadores. Ao longo de todo o período de existência do Guadalupeças foram inúmeras as vezes que organizamos edições deste tipo, já fizemos Star Wars, Game Of Thrones e até mesmo uma de Futebol, na época da Copa do Mundo. Porém, apesar de sermos grandes fãs da nona arte, ainda não tinha acontecido de unirmos esses dois grandes hobbies.

Continuar lendo Guadalupeças – Especial Quadrinhos

Compartilhe:

Entrevista: Gigante Jogos no Diversão Offline 2017

Marcelo Pegado é mais conhecido como “Jack Explicador” no mundo dos boardgames modernos, mas, para quem não sabe, ele é também um dos sócios e responsáveis pela editora Gigante Jogos. A Gigante já lançou games como Sentinelas do Multiverso e Trajan e queríamos aproveitar o Diversão Offline 2017 para papear um pouco sobre estes e futuros títulos. Infelizmente, por questões de conflito de agenda, não foi possível gravar pessoalmente durante o evento. Contudo, em uma grande gentileza, Pegado nos respondeu os questionamentos que havíamos preparado via e-mail. A entrevista completa você confere logo abaixo:

Marcelo Pegado, da Gigante Jogos

Turno Extra: Olá! Explica para nós, como funciona a Gigante Jogos? É uma editora, é um selo, é uma negociadora de marcas…?

Marcelo Pegado: A Gigante surgiu com a intenção inicial de ser apenas um estúdio de criação. Uma editora que viabilizaria a produção de alguns projetos autorais, que acabaram no congelador, por enquanto. Nunca criamos a estrutura necessária para distribuição e logística de venda. A parceria com a Devir foi mais do que uma solução, surgia a possibilidade de localizar alguns títulos internacionais.

Turno Extra: O que houve com o Jungle Ascent? Ouvimos dizer que o autor faliu. É verdade? Ainda rola de ser lançado aqui?

Marcelo Pegado: Nossa primeira licença, estávamos muito empolgados com a possibilidade de trazer este divertido jogo. Infelizmente, a editora licenciadora, detentora dos direitos faliu, assim que assinamos o contrato. Nos vimos no meio de uma briga judicial internacional, entre o designer, editora e fornecedores. Depois de bastante conversa e alguns prejuízos financeiros, conseguimos acertar diretamente com o designer. O projeto acabou perdendo o timing correto para o mercado, que cresceu muito rápido no Brasil. Mas ainda queremos retomá-lo algum dia.

Jungle Ascent

Turno Extra: Explica pra galera que aguarda as correções do Sentinelas do Multiverso. Tem previsão concreta? (nota do blog, para esclarecimento: o jogo foi lançado com erros de revisão e tradução em algumas das cartas)

Marcelo Pegado: Nossa segunda investida no mercado de licenças, mas nossa primeira experiência em produção localizada. Após diversas negociações, conseguimos a licença para produzir o Sentinelas no Brasil, apesar das restrições inicialmente exigidas pela Greater Than Games. Isso era necessário para viabilizar os lançamentos das expansões, tornando a experiência mais dinâmica e com menor custo para o consumidor final. Fizemos diversos testes e elegemos a gráfica da FunBox, a melhor na época do lançamento. Foi um grande erro. A produção ficou excelente, mas a falta de controle de qualidade na montagem final, comprometeu nossa distribuição. Criando um grande fluxo de trocas e reposições. Felizmente, conseguimos corrigir todos os pedidos e solucionar todos os problemas. Mas o custo foi altíssimo, além de criar grande desgaste com a Greater Than Games, que inicialmente, não queria permitir a produção independente.

Novas negociações e algumas viagens depois, conseguimos novos parceiros para dar continuidade na franquia. Isso é importante porquê, as cinco cartas que tiveram erros na diagramação dependem de uma nova impressão para serem produzidas, uma vez que a calibragem das impressoras só é possível para grandes quantidades. Seria uma solução mais rápida imprimirmos essas cinco cartas em outra gráfica menor, mas não solucionaria o problema, uma vez que as cores estariam comprometidas. Não temos uma data para esta reimpressão, mas anunciaremos assim que possível.

Algumas das cartas com erros em Sentinelas do Multiverso

Nota do blog: quando citamos os erros do Sentinelas do Multiverso, nos referimos aos problemas de revisão, que acometeram pelo menos cinco cartas, ainda que o jogo tenha sete revisores creditados em seu manual. Já Pegado, nesta resposta, refere-se aos problemas de cartas cortadas erroneamente ou faltando na montagem. Como a entrevista foi feita por e-mail, solicitamos um complemento da resposta, que pode ser lido abaixo:

Marcelo Pegado: O problema das cinco cartas com erratas, apesar de sério, não atrapalhou a experiência de jogo. As erratas foram rapidamente publicadas e disponibilizadas para download. Uma medida paliativa e que ainda precisa ser resolvida numa segunda impressão do jogo. Nosso maior desafio no lançamento, foi a inconstância na montagem e produção de um lote. Cartas cortadas fora de alinhamento, decks com cartas faltando e decks com cartas sobrando, tokens fora de centralização, dentre outros problemas. Recolhemos todo este lote e trocamos os jogos rapidamente, uma ação que nos custou grande exposição.

Turno Extra: Os jogos da Gigante continuarão saindo só pela Devir? Estão abertos a outras editoras?

Marcelo Pegado: A Devir foi uma excelente parceira, principalmente na resolução dos problemas que tivemos com a montagem do Sentinelas. Além de viabilizar uma distribuição excelente. Continuamos com a parceria com a Devir, mas estamos sempre avaliando novos parceiros em potencial. A família cresce.

Turno Extra: A receptividade do Trajan foi boa? Teve algum problema notável no jogo?

Marcelo Pegado: Trajan teve uma resposta fantástica do público. Um título que completa 10 anos, sem hype e com grandes títulos mais novos competindo no mercado. Mais uma vez, a distribuição da Devir foi exemplar e o jogo está praticamente esgotado. Desta vez, fizemos a produção conjunta na Alemanha, o que garantiu o padrão internacional de qualidade.

Trajan, um dos recentes lançamentos da Gigante

Turno Extra: O que o futuro reserva para a Gigante?

Marcelo Pegado: Apesar de não estarmos ativos no competitivo cenário de lançamentos, a Gigante ainda tem alguns projetos na manga. A grande maioria, em jogos autorais.

O Turno Extra agradece seu tempo e desejamos sucesso aos negócios da editora!

Compartilhe: